segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Felicidade

Espero que todos...

Voem sem saber para onde ir

Diga que ama, sem medo da resposta

Viva, só pelo fato de saber que está vivo

Abrace apenas pela ternura que ele nos concede

Beije não só com a saliva, mas com as lágrimas da alma

Palpite o coração por um arrepio de amor

Ame até o máximo que conseguir

Rode até que o mundo gire em uma ciranda de felicidade

Sonhe as alegrias mais impróprias

Tripudie da tristeza, porque ela é necessária só nos momentos mais felizes

Apaixone-se por alguém que saiba que você é a mais bela e defeituosa criatura humana

E ame o amor eterno, pois a maior arma nossa, é o amor do próximo por nós

Delicie da alegria, sucumba à melancolia, dance na agonia

E assim, espero que todos...

Não deixem de amar jamais

Porque amar, amar é bom demais!


segunda-feira, 24 de outubro de 2011

O Passado do Amanhã

Disfarço-me de hoje, para iludir o amanhã
O que seria da lua futura, sem a aurora passada
A noite, que desbotada se faz ausente
Polia as estrelas, que presentes se faziam acesas
Em chamas nitentes e altivas... Sementes da sombra
Volta para o além da felicidade
Promulgue o que é eterno, cultue o que será desfeito
Promova a fusão dos corpos, que quentes, se alteiam
Julgue o amor próprio, ilumine o eclipse ocular
Tão visto nos dias que passam...
São nos ventos da tarde, que a vida se ilude
Um leve sopro, no canto do ouvido, carrega seu aroma nos ombros da lua
Passando por olfatos desertos de prazer
A carne que exala lúxuria durante a manhã
Pode ser a mesma que transparece ternura na noite
O poema que lido uma vez e não entendido
Pode ser a vida sem volta do amanhã

sábado, 22 de outubro de 2011

O Silêncio do Ausente

...Mais tarde que me procure
E me ache entrelinhas rabiscadas de seu verso
Seu esmo eu, sou eu mesmo, infâme perdido por nós dois
Luas errantes, navegando por um céu de brumas e silêncios
De amantes separados, em sombras e luzes contraria o seu próprio ser
Abandonar um coração amado, é deixar um eclipse eterno na sua alma
Que seja doce, mas não amargo demais
Porque uma papila amargurada é demais pra um só peito
Uma só vida!
E quem não ama, é feliz... Pois esta felicidade só é descoberta na hora da morte
Quando a escolha da tristeza é vista como o melhor caminho para felicidade