quarta-feira, 10 de junho de 2015

O Homem e sua Procura

Abre-se um pequeno feixe, e a luz, concisa
entra e permanece na vista
"cego", o homem se levanta, tenta responder
e não querendo, responde:
apenas passos
vai até o espelho, à água, ao norte
bebe daquela água, escova seus espelhos; renasce
o homem é para o dia o que o nada é para vida; tudo
Continua às formas, às máscaras, às radiações
o homem se alimenta e finda a carne
bebe o leite que o servem, corta o pão como se cortasse estrelas
Ele continua a viver
Veste sua roupa, aquela que um dia se foi
Permanece nu por dentro,
a roupa que necessita, não se compra em qualquer esquina
Vai à rua, e escolhe alguém para o seu coração
Seu coração decide; e lá se vai para mais um perdão
Pois ele não carece de perda, nem de não
O que vale para ele, é apenas, mais um dia ao lado - d'um outro coração -.

Nenhum comentário: